Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Reunião discute proteção do consumidor na Copa

General

Reunião discute proteção do consumidor na Copa

A prevenção de conflitos durante a Copa do Mundo de 2014 foi o tema de uma série de reuniões entre a representantes da Secretaria Nacional do Consumidor do Ministério da Justiça (Senacon/MJ); dos Ministérios dos Esportes e do Turismo; e Procons...
por publicado: 17/07/2013 18h00 última modificação: 20/02/2014 14h46

A prevenção de conflitos durante a Copa do Mundo de 2014 foi o tema de uma série de reuniões entre a representantes da Secretaria Nacional do Consumidor do Ministério da Justiça (Senacon/MJ); dos Ministérios dos Esportes e do Turismo; e Procons das cidades-sede da Copa. O primeiro encontro, com foco na venda de ingressos, foi realizada nesta quarta-feira (17/7).

A Fifa apresentou a metodologia para a venda de ingressos, que será realizada em três fases, por sorteio, conforme definido na Lei Geral da Copa. A Senacon informou os principais atendimentos realizados pelos Procons durante a Copa das Confederações para que se garanta os direitos dos consumidores.

A Senacon recomendou a Fifa que comunique claramente aos consumidores as regras para a compra de ingressos. “No ato da compra, o consumidor deve ser alertado, de forma clara, sobre o local dos assentos e as regras para a aquisição ou devolução de ingressos”, destacou Amaury Oliva, diretor do Departamento de Defesa do Consumidor (DPDC/Senacon).

A Fifa comunicou que a multa para cancelamento da compra, após discussão com a Senacon, será de 10%, se o cancelamento for efetuado até quatro dias do jogo, e não 30% como na Copa das Confederações. A Federação também se comprometeu a disponibilizar o mapa de assentos de cada estádio, no momento da oferta dos ingressos, que deve ocorrer na segunda quinzena de agosto.

Outro ponto da reunião foi a necessidade de informar aos consumidores que não comprem ingressos de empresas ou pessoas não autorizadas pela FIFA.

Outras reuniões serão convocadas para discussão de outros temas que também geraram reclamações, como a venda de alimentos nos estádios e preços abusivos de hospedagens.

 

Agência MJ de Notícias
(61) 2025-3135/3315
acs@mj.gov.br
www.justica.gov.br