Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Novo diretor-geral da PF toma posse no Ministério da Justiça

Destaque

Novo diretor-geral da PF toma posse no Ministério da Justiça

Fernando Segovia sucede Leandro Daiello e anuncia a abertura de novas operações de combate à corrupção
por publicado: 10/11/2017 17h51 última modificação: 14/11/2017 13h54

Segóvia

Ministro Torquato Jardim e novo diretor-geral da PF, Fernando Segóvia, ao centro, assinam termo de posse. Foto: Ronaldo Caldas/MJ

Brasília, 10/11/17 - O ministro da Justiça e Segurança Pública, Torquato Jardim, desejou felicidades e sucesso ao delegado Fernando Segovia ao empossá-lo como diretor-geral do Departamento da Polícia Federal, na tarde desta sexta-feira (10), na sede do ministério. Segovia substitui o delegado Leandro Daiello, que ficou seis anos e 10 meses no cargo.

Acompanhado do secretário nacional de Segurança Pública, general Carlos Alberto Santos Cruz, e do diretor-geral da Polícia Rodoviária Federal, Renato Dias, Torquato Jardim deu boas vindas e apresentou seus auxiliares à Segovia. “Esse é o time que vai te ajudar, conte conosco”, disse. "Esta equipe está integrada e à disposição para os árduos desafios que o Brasil tem", afirmou Torquato.

Em rápida entrevista após a posse, Segovia afirmou que pretende reforçar o combate à corrupção. Questionado especificamente quanto à Operação Lava Jato, respondeu que não só pretende aperfeiçoá-la, mas abrir outras frentes de investigação.

“A Lava Jato na realidade é uma das operações de combate à corrupção no país. O que a PF pretende é aumentar, ampliar o combate à corrupção. Então não será só uma ampliação, uma melhoria na Lava Jato, será em todas as operações que a PF já vem empreendendo. Bem como ampliar, criar novas operações”, disse o novo diretor-geral. “Pode ter uma única certeza: a corrupção nesse país é sistêmica, mas existe a Polícia Federal, o Ministério Público Federal e vários outros órgãos que a combatem e nós pretendemos continuar cada vez mais fortes nesse combate.”

Segovia também respondeu sobre ingerência política na PF. “A política, na realidade, faz parte da vida do ser humano, então como diretor-geral eu tenho que realmente trabalhar politicamente com vários órgãos, várias instituições, o que não quer dizer que a gente não combata os crimes, que são cometidos por pessoas. As instituições não cometem crimes, as pessoas cometem crimes. Nas empresas, os funcionários cometem crimes, as empresas não cometem crimes. Então o que nós precisamos é melhorar talvez as investigações, é melhorar o foco das investigações e aí combater melhor esse tipo de crime, combatendo, na realidade, a essência da corrupção. Nisso a gente vai trabalhar em parceria com o Ministério Público Federal e com outras organizações para tentar melhorar esse combate.”

Sobre as mudanças que pretende fazer na cúpula da corporação, Fernando Segovia informou que já teve reuniões com os diretores e superintendentes regionais e todos estão tranquilos. "A gente está começando a trabalhar o processo de transição natural dentro da Polícia Federal. Pretendemos continuar o trabalho e é natural que, com o tempo, haja mudanças", explicou. “Com certeza sempre tem gente que tá cansado e quer sair, e tem gente que tá novo e quer entrar, isso é natural.” 

Segovia fala sobre Lava Jato

Segovia fala sobre possível troca na PF

Segovia fala sobre importância do cargo 

Clique e veja mais fotos posse

ASSINATURAMJ_PORTAL_0803_PARTE BCA.JPGASSINATURAMJ_PORTAL_0803.jpgFACEBOOK_ICON_2103.jpgYOUTUBE_ICON_2103.jpgTWITTER_ICON_2103.jpgFLICKR_ICON_2103.jpg