História

por Alexandre.mourao publicado 08/03/2016 15h24, última modificação 08/03/2016 15h24

A implementação de uma política pública de atenção psicológica às vítimas de violência perpetradas pelo Estado no período ditatorial constitui importante demanda histórica de diversos movimentos sociais ligados aos direitos humanos. Organizações da sociedade civil já vinham atuando na atenção aos afetados pela violência de Estado, gerando um acúmulo de experiência de mais de 20 anos, com direcionamentos clínicos e teóricos bem desenvolvidos. Entretanto, o histórico de militância desses movimentos sociais indicavam a necessidade de que a política de reparação psíquica fosse ofertada pelo Estado.

O projeto Clínicas do Testemunho é, portanto, uma iniciativa pioneira que agrega nova dimensão ao amplo programa de reparações da Comissão de Anistia: a reparação psicológica. Constitui um primeiro esforço do Estado brasileiro na tentativa de reparar os efeitos das marcas psíquicas deixadas pelas graves violações de direitos humanos do período da ditadura civil-militar (1964-1985). 

Realizada em 2012, a primeira chamada pública permitiu a celebração de quatro convênios, com as instituições: InstitutoProjetos Terapêuticos(RJ), Instituto Sedes Sapientiae (SP), InstitutoProjetos Terapêuticos(SP) e Sigmund Freud Associação Psicanalítica (RS). Com um investimento global de R$ 2.174.338,28, a primeira fase do projeto foi executada no período entre janeiro de 2013 e dezembro de 2015.