Você está aqui: Página Inicial > acervo_legado > Anistia Política > Projetos > Marcas da Memória I - 2010

Marcas da Memória I - 2010

por Renata Barreto Pretrulan publicado 07/04/2016 13h46, última modificação 07/04/2016 13h50

Na primeira chamada pública do projeto Marcas da Memória, lançada em 2010, foram selecionadas nove propostas de entidades da sociedade civil para a realização de projetos. Por meio das parcerias, cuja execução se iniciou em 2011, foram lançados filmes, livros, peças de teatro, exposições e oficinas, num investimento total por parte da Comissão de Anistia de R$ 2.511.521,83. Seguem abaixo informações detalhadas sobre cada uma das parcerias e os resultados alcançados.

 

Eu me lembro

Eu me lembro (2012; 96 min) é um filme dirigido por Luiz Fernando Lobo, produzido para contar memórias sobre o período da ditadura militar no Brasil a partir da atuação da Comissão de Anistia com o projeto das Caravanas da Anistia. O lançamento do filme aconteceu em outubro de 2012 no Rio de Janeiro na 62° Caravana da Anistia e Festival Internacional de Cinema do Rio. A proposta do longa metragem foi reunir depoimentos de pessoas resistentes ao período ditatorial que apresentaram requerimentos de anistia política, contando suas dolorosas memórias e nos ajudando a reconhecer algumas das mais perversas práticas cometidas durante o Estado de exceção. O filme, ao tornar visíveis essas trajetórias e os atos de reconhecimento de anistia por parte do Estado brasileiro, contribui para a conscientização social mais ampla das memórias de um período que marcou a história do Brasil e a história dos direitos humanos no país. Clique aqui para assistir ao filme

Parceiro: Instituto de Estudos do Trabalho e Sociedade – IETS (RJ)

Termo de Parceria nº 748654/2010 

Vigência: 29/10/2010 a 29/06/2012

Valor Total: R$ 580.479,98

 

A política brasileira de memória e reparação em livros

Da parceria celebrada entre a Comissão de Anistia do Ministério da Justiça e o Instituto de Comunicação, Estudos e Consultoria Primeiro Plano, no âmbito do projeto Marcas da Memória, resultaram dois importantes livros que recuperam a estruturação da política brasileira de memória e reparação em torno da apreciação de requerimentos de anistia política. O primeiro deles, o “Livro dos votos da Comissão de Anistia: verdade e reparação aos perseguidos políticos no Brasil”, retrata os votos mais emblemáticos da Comissão de Anistia. O segundo, “Caravanas da Anistia: o Brasil pede perdão”, reconta a trajetória das Caravanas desde 2008 pontuando sua centralidade na promoção de justiça e reparação para os perseguidos pelo Estado Brasileiro, agora anistiados políticos. Ambos os livros são instrumentos importantes que reafirmam o compromisso com a verdade sobre a recente história política do Brasil, promovendo e consolidando, por meio de disseminação de informações, a democracia e a defesa dos direitos humanos no país. Acesse as versões em pdf clicando aqui: Livro dos Votos da Comissão de Anistia: verdade e reparação aos perseguidos políticos no Brasil e Caravanas da Anistia: o Brasil pede perdão.

Parceiro: Instituto de Comunicação, Estudos e Consultoria - Primeiro Plano (SC)

Convênio nº 748384/2010

Vigência: 10/12/2010 a 30/09/2012

Valor Total: R$ 507.784,55

 

Repare Bem

O filme “Repare bem”, com direção e roteiro de Maria de Medeiros, trata da história de Eduarda e Denise Crispim, respectivamente filha e companheira de Eduardo Leite (o "Bacuri"), militante político morto na luta contra a ditadura no Brasil. Conhecendo suas trajetórias podemos conhecer muito da história do Brasil dos anos 70 e as discussões que evocam na atualidade sobre democracia, liberdade e direitos humanos. Essas duas histórias, fortemente afetadas e alteradas pela ditadura no Brasil, apresentam um olhar a respeito dos excessos cometidos pelo Estado e a resistência política à ditadura. Também nos fazem refletir sobre a importância de se garantirem meios de reparação, materiais, morais e simbólicos, para aqueles que foram afetados e tiveram seus direitos fundamentais violados. É possível assistir ao filme clicando aqui 

Parceiro: Instituto Via BR (SP)

Convênio nº 748748/2010

Vigência: 05/12/2010 a 05/12/2011

Valor Total: R$ 284.609,39

                   

 Vou Contar para Meus Filhos

O objeto da parceria entre a Comissão de Anistia do Ministério da Justiça e o Movimento Tortura Nunca Mais foi a produção do vídeo documentário “Vou contar para meus filhos”. Dirigido por Tuca Siqueira, o filme conta a história de 24 mulheres presas por motivos políticos entre 1969 e 1975 na Colônia Penal Feminina do Bom Pastor em Recife, Pernambuco. Através das histórias daquelas mulheres, é possível conhecer também a história política do Brasil e alguns dos instrumentos de repressão utilizados no período da ditadura civil-militar. Produzir um filme com essa temática, abordando as histórias dessas mulheres, gera ganhos muito significativos tanto em disseminação de informação sobre o período da ditadura militar do Estado brasileiro, quanto no fomento do debate sobre a garantia da democracia e dos direitos humanos, tornando tais questões mais próximas de universidades e escolas, por exemplo. Você pode assistir ao filme clicando aqui.

Parceiro: Movimento Tortura Nunca Mais – MTNM (PE)

Convênio nº 751138/2010

Vigência: 20/12/2010 a 20/06/2011

Valor Total: R$ 150.000,00

 

 

Anistia e Democracia: para que não se esqueça, para que nunca mais aconteça

 Os painéis com fotos e textos sobre o período ditatorial brasileiro, sobre anistia política e sobre o trabalho da Comissão de Anistia, foram agrupados com o nome “Anistia e democracia: para que não se esqueça, para que nunca mais aconteça”. Estando em exposição itinerante e gratuita, os painéis produzidos em parceria com a Agência Livre para Informação, Cidadania e Educação (ALICE), acompanham as Caravanas da Anistia. A exposição de imagens referentes ao período da ditadura nas seções de julgamento dos pedidos de anistia política é muito simbólico e contribui com o objetivo pedagógico das Caravanas em tornar conhecidos os abusos cometidos naquele período.

Parceiro: Agência Livre para a Informação, Cidadania e Educação – ALICE (RS)

Convênio nº 751687/2010

Vigência: 20/12/2010 a 29/02/2012

Valor Total: R$ 110.000,00

  

Filha da Anistia

 O espetáculo teatral “Filha da Anistia”, com direção e produção de Alexandre Piccini, conta a história da jovem Clara, que na busca por seu pai acaba descobrindo um passado de mentiras e omissões referentes ao período da ditadura no Brasil, o que envolveu sua família de modo muito intenso. A partir da parceria com a Comissão de Anistia foi expandida a exibição do espetáculo, levando-o para São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Recife e Brasília, principalmente para o público escolar e universitário com entrada gratuita. Após as apresentações, foram promovidos debates com o público contando com a participação de pessoas sobreviventes do período da ditadura e/ou acadêmicos estudiosos do tema. O espetáculo ao retratar a história de Clara traz consigo um debate mais amplo sobre democracia e memória política no Brasil, sendo um veículo significativo para conscientizar a população mais jovem que não viveu tal época, mas tem o direito de conhecer a verdade e acessar a memória sobre o período. Alguns registros do espetáculo estão no blog da peça apresentada pela Caros Amigos Cia de Teatro; clique aqui para acessar.   

Parceiro: Associação de Pesquisadores Sem Fronteira – PSF (SP)

Convênio nº 749511/2010

Vigência: 20/12/2010 a 30/05/2012

Valor Total: R$ 250.000,00

  

Resistir é Preciso

“Resistir é preciso” foi o nome dado aos eventos que mobilizaram 28 universidades do Paraná com temas relacionados à cidadania, direitos humanos e ao período da ditadura civil-militar no Brasil. Através de palestras musicais e de oficinas com o objetivo de resgatar a memória de resistência e defesa da democracia no Brasil, articuladas por estudantes, foi possível trazer esse debate para o espaço universitário, um dos atingidos pelas repressões por parte do Estado entre 1964 e 1985. Esses eventos contribuíram fortemente para a reflexão crítica daqueles atos e da importância da defesa da democracia enquanto valor, assim como dos direitos humanos.

Parceiro: Sociedade DHPAZ

Termo de Parceria nº 750010/2010

Vigência: 21/12/2010 a 21/11/2011

Valor Total: R$ 149.904,00

  

Ainda Hoje Existem Perseguidos Políticos no Brasil

A partir da parceria entre a Comissão de Anistia e a ACESSO por meio do projeto Marcas da Memória, foi possível realizar seminários, oficinas e produzir material didático-pedagógico para distribuição gratuita sobre direito à memória, verdade, liberdades democráticas e anistia política no estado do Rio Grande do Sul. Foram dois seminários e oito oficinas destinadas aos mais diversos públicos, garantindo que um grande número de pessoas de diferentes perfis tivessem acesso a informações referentes aos excessos cometidos no Brasil no período da ditadura assim como algumas práticas que ainda carregam resquícios de autoritarismo cometidos pelo Estado brasileiro. Estão disponíveis para download a cartilha produzida e o livro. Você também pode acessar o documentário intitulado “Ainda hoje existem perseguidos políticos no Brasil”, realizado a partir dessas atividades. 

Parceiro: Cidadania e Direitos Humanos (RS)

Convênio nº 752779/2010

Vigência: 01/03/2011 a 29/06/2012

Valor Total: R$ 134.179,60

  

Sala Escura da Tortura

 A exposição “Sala escura da tortura” percorreu quatro estados brasileiros exibindo pinturas que retratam cenas de tortura praticadas pela ditadura no Brasil. A partir da exposição foi produzido um livro catálogo com imagens das obras e com textos que discutem memórias das perseguições ocorridas. A exposição foi inaugurada originalmente em Paris ainda na década de 70 com os quadros que foram inspirados nos relatos de Frei Tito durante seu exílio na França. Mostravam com crueza as arbitrariedades que estavam ocorrendo no Brasil de então. Ao disseminar a exposição aumenta-se o caráter de denúncia que as obras tiveram no cenário internacional naquele período e trazendo para o Brasil a possibilidade de entender melhor, através dessas obras, sua própria história. O livro oriundo da exposição pode ser acessado aqui. 

Parceiro: Instituto Frei Tito de Alencar (CE)

Convênio nº 752802/2010

Vigência: 29/12/2010 a 29/12/2011

Valor Total: R$ 405.192,00

registrado em: