Dinheiro apreendido do tráfico será utilizado na política sobre drogas

publicado: 06/10/2015 11h37, última modificação: 06/10/2015 11h37
Existem hoje, espalhadas pelas inúmeras regionais do Banco Central, cerca de 3 mil custódias dessas apreensões, segundo levantamento preliminar

Brasília, 06/10/15A Secretaria Nacional de Políticas Sobre Drogas do Ministério da Justiça (Senad/MJ), responsável por gerir o Fundo Nacional Antidrogas (Funad), em parceria com o Departamento de Polícia Federal e o Banco Central, realiza força-tarefa para o levantamento das apreensões de dinheiro em espécie encontrado com traficantes de drogas.

Existem hoje, espalhadas pelas inúmeras regionais do Banco Central, cerca de 3 mil custódias dessas apreensões, segundo levantamento preliminar. Pela lei, todas são repassadas pelo poder judiciário para o Funad. Num trabalho piloto da força-tarefa, durante a semana passada em São Paulo, foram analisadas e desembaraçadas para recebimento 75 custódias, que somaram o valor de US$ 519 mil. Estima-se que o valor total das custódias alcance cerca de US$ 5 milhões.

A Senad/MJ providenciará o depósito dos valores no Funad e destinará os recursos para a política sobre drogas, financiando projetos e ações de prevenção, pesquisa, tratamento e reinserção social. Operações similares serão realizadas em outras sedes regionais do Banco Central como Fortaleza, Recife, Rio de Janeiro, entre outras cidades.

Ministério da Justiça
facebook.com/JusticaGovBr
flickr.com/JusticaGovbr
www.justica.gov.br
imprensa@mj.gov.br

(61) 2025-3135/ 3315/ 9962